A “Via Láctea” , a “Vía de la Plata” , o Caminho Jacobeu/ Xacobeo, é a  rota de peregrinação com destino ao Túmulo de São Tiago Maior (apóstolo de Jesus Cristo) em Santiago de Compostela na Galiza (Espanha). Com tradição cultural logínqua, este Caminho de Santiago foi elavado à categoria de Património Mundial da UNESCO´, em 1993.  Lembremos que Tiago, em latim, é Jacob, em galego Xacob e em francês Jacques (as conchas de Santiago, símbolo do peregrino, também é nome de um famoso prato da culinária francesa Coquilles Saint Jacques gratinées). É uma das maiores rotas de peregrinação do mundo cristão,  seguindo apenas Roma e Jerusalém.

Sabia que durante certo período de ocupação árabe na Península Ibérica, a catedral de Santiago de Compostela chegou a ser tutelada pelos arcebispos de Braga? Desta época também é a atribuição da alcunha de Santiago “Mata-mouros” pois alegadamente alguns cavaleiros no auge de batalhas contra os mouros tiveram a visão do Santo nos céus a empunhar sua espada e incentivando-os para a luta. Também ainda é comum, principalmente no norte de Portugal a expressão “foi como Santiago aos Mouros”  para expressar o momento quando alguém age com grande decisão ou mesmo fúria!




A Rainha Santa Isabel (aragonesa de nascimento), esposa do Rei Dom Dinis, fez o caminho e fruto de sua devoção ordenou ser representada, em seu túmulo, com a figura da Concha de São Tiago, símbolo do peregrino (Coimbra).

Os relatos da experiência de quem faz o caminho, quase sempre remetem a ideia de “compreensão maior do mundo e de si mesmo, uma transformação”. Muitos o fazem por devoção e religiosidade mas não é incomum os que percorrem o caminho sem associar uma  motivação religiosidade ou mística. Fazem-no como forma de estar só com seus pensamentos numa atitude de auto-conhecimento e auto-avaliação.

O escritor Paulo Coelho, em seu livro “Diário de um Mago”, foi um grande divulgador deste caminho no século XX. Cada vez mais, peregrinos de todo o mundo escolhem fazer o caminho, redescobrir caminhos medievais à pé, de bicicleta ou mesmo à cavalo.

O caminho português mais famoso é o que parte da cidade do Porto. Existe também um caminho “de volta” que partindo de Santiago de Compostela segue em direcção à Fátima.

Há um caminho que cruza a região transmontana, partindo de Zamora e passando por Bragança, Vinhais e Chaves (chegamos a conhecer em Chaves, ruínas de um pequeno “hospital” medieval em Vilar de Perdizes que atendia os peregrinos. Os místicos ou esotéricos buscavam este local pois havia em tempos, anualmente, um encontro mundial de bruxos).

Para os que quiserem conhecer um pouco mais sobre os caminhos portugueses, recomendamos os seguintes sites:

clica em –>O Portal do Peregrino

clica em –>O caminho Português de Santiago

clica –> Xacobeo

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome